Pular para o conteúdo principal

Postagens

Destaques

Na Web: Marx, Epicuro e a concepção marxista de natureza e dialética, por Gilson Dantas

Sabemos que o jovem Marx, em 1841, na intenção de tornar-se professor, desenvolveu uma pesquisa e tese de doutorado na qual escolheu como tema a filosofia da natureza em dois filósofos gregos, Demócrito e Epicuro. Marx irá mostrar, na sua tese, a diferença entre os dois, com destaque para a importância de Epicuro, o “iluminista radical da Antiguidade”, como dizem Marx e Engels, em A ideologia alemã. O estudo de Epicuro, na elaboração da sua tese universitária, permitiu que Marx, segundo Foster (31) “focasse, a um só tempo: as primeiras teorias materialistas; as suas concepções de liberdade humana; as fontes do Iluminismo; o problema da filosofia da natureza hegeliana; a crítica da religião; e o desenvolvimento da ciência”. Com Epicuro, Marx aponta para o estudo da natureza sem partir de princípios extra-natureza, teleológicos.

Ler a parte 1

Ler a parte 2

Últimas postagens

Arquivo para download: As filosofias da natureza em Demócrito e Epicuro, por Karl Marx

Arquivo para download: A linha reta e o infinito na refundação epicureana do atomismo, por João Quartim de Moraes

Arquivo para download: Epicuro e as bases do epicurismo (introdução), de Miguel Spinelli

Trechos selecionados: Microfísica do poder (Editora Graal), de Michel Foucault

Na Web: Deleuze e a axiomatização capitalista (trecho de aula)

Arquivo para download: O capitalismo axiomático de Deleuze e Guattari, por Bernardo de Carvalho Tavares dos Santos

Arquivo para download: Deleuze e a questão da literalidade, por François Zourabichvili

Arquivo para download: Identidade e diferença: impertinências, por Tomaz Tadeu

Na Web: A genealogia dos preconceitos, de Oswaldo Giacoia Junior

Arquivo para download: Educação (bildung) enquanto verniz: crítica ao Estado e psicofisiologia, por Wilson Antonio Frezzatti Júnior